quinta-feira, 25 de abril de 2013

Great Expectations

Sempre quis escrever sobre isto. Ainda antes de ter o blogue, achava que escreveria sobre este tema.
Sabia que seria, mesmo que simples e pouco longo, um dos textos que faria mais sentido para mim.
A minha mãe sempre me disse: "Não faças planos, nunca faças planos" e eu sempre achei um absurdo.
Acho que ainda hoje acho isso, porque não sei NÃO fazer planos. Porque há sempre um caminho a seguir, há sempre vontades, há sempre objectivos, metas. Mas até mesmo quando dizemos que é bom por em prática a filosofia do dia a dia, o velho Carpe Diem, não estaremos a fazer uma espécie de plano?
Um plano que permita relativizar tudo e viver com a energia certa, todos os momentos em separado?
Pois bem, eu não sei viver sem planos. Todos os dias são dias novos e mais perto de coisas que nunca fiz ou nunca tive. Deve ser por isso que gosto da mudança e do começar do zero. Quando o fazemos, comprámos sempre um novo bilhete de uma viagem que mesmo que saia falhada, nunca vai importar. Porque já está feita e pronto.

Os planos:
Sempre achei que tinha de fazer a escolaridade toda seguida e com sucesso, numa área que sempre quis, para poder ter a minha independência, minha casa e minha família, na minha cidade.
Sempre quis ter uma casa com lareira, escritório e um sótão. De preferência T3 ou T4 para hospedar quem eu quisesse. E quis também mandar fazer de raiz,porque diziam ficar mais barato. Treta.
Disse sempre que teria um cão, mesmo que num espaço pequeno.
Sempre achei que ía ter sempre o mesmo emprego e ganhar estabilidade depressa, efectivando, embora por hobby fosse fazendo outras coisas.
Sempre quis fazer mil e uma coisas, experimentar outras áreas profissionais.
E partilhava todas estas minhas ideias, com toda a gente que eu achava que tinha paciência para me ouvir.

A realidade:
Fiz a escolaridade quase seguida (parei 1 ano), não entrei para a área que quis. Mudei de cidade e vivo num T2 sem lareira, sem escritório e sem sótão. Nunca foz nada para além da minha profissão e apesar de ter um terraço, não tenho animais. Arranjo sempre uma desculpa para os medos e inseguranças que isso traz.
Obviamente que construir de raiz, ficava um absurdo de dinheiro.

E penso tantas vezes no que a minha mãe me dizia. Que fazer planos nunca resultava. E até agora tudo me saiu ao contrário.
Não me estou a queixar, estou apenas a constatar. Sim, porque não mudei nada e continuo a fazer planos. Que não se concretizam mas que me mantêm ocupada e optimista :)

Será que os homens do 25 de Abril, sonhavam que passados 39 anos, o Portugal que eles libertaram, estaria assim?
Possivelmente achariam que tudo lhes tinha saído ao contrário...

Bom final de semana e bons planos****


17 comentários:

  1. Sabido é que sempre ouvi dizer que os planos saem sempre "furados" e que aquilo que é imprevisível e imprevisto sabe sempre melhor. Talvez por isso a sua mãe a tenha aconselhado a não fazer planos, para não se iludir e acabar desiludida.

    Beijinho ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, há muita gente que defende essa teoria, para ninguém se magoar depois.

      Eliminar
  2. Querida Amiga... sou como tu, não consigo viver sem fazer planos, por mais que os mais sábios e vividos, ou até a própria vida, que essa então penso ser a mais insitente em me fazer ver que não vale a pena fazer planos... me conseguem vencer na teimosia de fazer planos!;) Porque o viver ao som do vento, ao som do tão adorado "Carpe Diem", que em silêncio e num desejo escondido gostava de alcançar...é bonito nos filmes e nos livros! :) Na vida real não dá... tenho sonhos, tantos!! E luto por eles, não desisto nem nas quedas, ou nas escolhas erradas ou que simplesmente nos fizeram cair para aprender determinada lição... e para lutar como um guerreira, como acho que temos de ser quando defendemos a nossa vida, tenho de traçar um plano para chegar onde quero, por isso sim, faço planos e não consigo viver sem eles! Resultado ou conclusão como lhe quiseres chamar: raramente o plano na parte prática sai como planeado, mas ajudou-me a alcançar ou a continuar a tentar, o que queria!:) Acho que quem sofre de uma necessidade de organização, mesmo que este seja feita no meio do caos, não vive sem fazer planos... simplesmente não dá! :P E se há 3 anos atrás me dissessem que estou a viver o que estou a viver hoje, diria que estava fora dos planos... com a única excepção de estar a viver ao ritmo de um sonho das viagens!;) Olha.. no fundo acho que mesmo dentro dos planos furados ou "desviados" encontramos o caminho que caso contrário não tínhamos lá chegado, por isso digo e repito, vou continuar a fazer planos até ao último dia da minha vida!;) E quase que escrevia um texto maior que o teu! :S sorry... entusiasmei-me!!;)
    Bom fim de semana!!!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E podias continuar, estava a gostar de te ler e muito!!!

      Eliminar
  3. Concluo: se a nossa vida fosse perfeita tornava-se uma verdadeira monotonia.
    Mas achamos que tudo seria mais fácil se o que planeámos se concretizasse.
    Acho que o lema é esse: carpe diem! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O lema é tentador...e pô-lo em prática? ;)

      Eliminar
  4. Nada é perfeito e a vida é um exemplo disso mesmo.
    Também se passa o mesmo comigo. Estabeleci uma série de prioridades e "desafios" a vencer ao longo do tempo.

    Uns foram sendo cumpridos, conquistas que me fizeram muito feliz. Mas como em tudo, há coisas que ainda me faltam, mas o caminho é longo e tudo tem o seu momento!

    Tudo a seu tempo!
    O importante é viver a vida!
    O tal "carpediem" que me é muito querido!

    Beijinhos (isto já está muito grande)

    ResponderEliminar
  5. A minha mãe costuma dizer que "não há nada mais castigado que a língua". Aquilo que dizemos querer ter ou fazer, na grande maioria dos casos, não acontece. E comigo foi exactamente assim. Até acabar a licenciatura as coisas foram correndo mais ou menos, mas depois nada correu como planeado. Agora acredito que o que tiver de acontecer acontecerá, quando for mais oportuno. Talvez o não conseguir atingir as metas a que me propus me tenha dado outras ferramentas pessoais para enfrentar o que realmente vier por aí, seja lá o que isso for.
    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  6. Tenho sonhos comuns contigo, um dia vamos conseguir realizar tudo!

    ResponderEliminar
  7. Eu era uma sonhadora...a vida ensinou-me a apreciar e viver e a agradecer o hoje. Hoje já não sonho (tenho pesadelos...) hoje concentro-me em sobreviver e agradecer as bençãos da minha realidade...masss gostava de um dia...poder voltar a sonhar...mau...por momentos deixei de ver as teclas...tu foste ali ao meu cantinho e riste-te comigo...eu feita palerma vim para aqui chorar...que disparate.
    Desculpa. Jinhos, boa semana querida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aiiii essas lágrimas!!!
      Este post foi só uma constatação das ironias da vida...e é tão bom termos algo na vida, nem que seja diferente do esperado ;)
      Váaa, anima-te e sorri :)

      Eliminar
  8. Eu, ultimamente, protejo-me um bocadinho não fazendo planos. Já os fiz e correram bem, mas em termos profissionais, naquelas coisas que dependem em boa percentagem de nós. Nas outras coisas, não adianta e a vida já me pregou uma ou outra partida feia. A vida é assim (e algumas pessoas também)!
    Beijinhos e espero que tenhas boas surpresas agradáveis em breve!

    ResponderEliminar