domingo, 14 de dezembro de 2014

Já.

Somos bagagem. Pura bagagem. Carregámos o que JÁ fomos e JÁ fizemos. Somos o que fomos e fizemos acontecer.

Já corri até (quase) deixar de respirar.
Já apanhei um susto no mar, fui salva pelo meu pai.
Já fiz uma tatuagem e já pensei numa segunda.
Já acreditei que podia conquistar o Mundo.
Já caí à frente de toda a gente.
Já corei com um elogio.
Já perdi quem gostava.
Já fui a única a rir, numa sala enorme.
Já gaguejei de insegurança.
Já andei na Roda Gigante de Londres.
Já tirei fotos com todos os bonecos de cera do Madame Tussaud.
Já fui pedida em casamento. Casei.
Já disse NÃO quando quis dizer sim.
Já ri até doer a barriga.
Já chorei até adormecer.
Já me controlei para não dizer um "ai".
Já gostei de polvo.
Já fiz um traumatismo craniano.
Já bati palmas sozinha.
Já não passo sem lentes de contacto.
Já comi chocolate ás colheres.
Já encontrei quem eu achava não existir.
Já reencontrei quem sempre quis.
Já senti borboletas na barriga.
Já fiz quase a Península Ibérica toda de carro.
Já acampei.
Já gritei histericamente num concerto.
Já dancei à chuva.
Já me perdi, sem GPS e sem bateria no tlm, quase sem gasolina e sem ponta de sangue!
Já fiz acupunctura.
Já esfolei o joelho.
Já ouvi o que nunca pensei.
Já disse o que nem eu sabia que sentia.
Já comi sopa de barbatana de tubarão.
Já fiz Sku na neve, não Ski.
Já estive nas Ramblas de Barcelona.
Já pus a sopa no prato raso e já pus massa no prato da sopa.
Já reinventei o conceito de saudade, vezes sem conta.
Já fui ao cinema sozinha.
Já me dedicaram uma música a meio de um concerto, com sala cheia.
Já li duas vezes o mesmo livro.
Já tentei dançar Kizomba.
Já mudei de cidade.
Já rebentei um saco de farinha, sem querer.
Já apanhei uma molha em Madrid. Daquelas até ás cuecas, quase!
Já digo menos palavrões a conduzir.
Já andei na maior montanha russa da Europa e já jurei que não repetia.
Já me consigo virar do avesso no Teatro.
Já me apaixonei à primeira vista.
Já me apareceram em casa com o pequeno almoço.
Já perdi um avião.
Já passei 12 horas num aeroporto.
Já fui turista na minha própria cidade.
Já comi caracóis (adoroooo).
Já fui atrás de um sonho.
Já abri mão de muita coisa.
Já não passo sem isto.

Gosto de analisar o que fiz. Perceber aquilo que sou por fora de mim. Gosto de saber aquilo que quem está do outro lado entende. Gosto de compreender aquilo que sou do lado de fora. Aquela parte que, por vezes, tentamos não ver. Até mesmo o quanto as nossas atitudes afectam o outro. O quanto importunamos. Naquilo que agradamos. Gosto de saber o bom. Preciso de saber o mau.

Gosto de me saber pelos vossos olhos. Pelo que me lêem. Gosto de saber o que vos sou. O que vos pareço.
Dizem-me?








14 comentários:

  1. O recheio de uma mala que muitos gostariam de carregar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que pensem isso pai, espero mesmo!
      beijinho*

      Eliminar
  2. Pareces-me uma pessoa genuína, simples, com muito amor pela vida. Uma pessoa especial, uma amiga de quem gosto muito!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Vânia, passa, por favor, no meu blog. Tenho lá um post com um apelo muito importante para mim e agradecia imenso a tua ajuda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Combinado Cynthia, vou já tratar disso ok?
      beijinho***

      Eliminar
  4. e essa é realmente a questão...como as pessoas realmente nos veem... o verdadeiro nós? ou a fachada?
    És "destrambelhada" e não segues logo o "rebanho"...GOSTO DE TI!!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada menina Sofia, dessas palavras não estava eu à espera!
      beijinho**

      Eliminar
  5. Gosto cada vez mais da pessoa que transmites :) alguém que fica presente e acima de tudo genuíno
    Beijinho grande*

    ResponderEliminar
  6. Pareces-me uma miúda altamente pá :P

    "Já fiz acupunctura." - arrepiei-me de alto a baixo xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não gosto de agulhas e garanto-te que é tranquilo mesmo. Nem sentes!!!
      Beijinhos**

      Eliminar