quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Há sempre uma 1ª vez...

Se há algo que nunca tive medo, foi de ir ao dentista. Mas se há algo de que não gosto, é daquela cadeira. Fui clara ou baralhei tudo?
Na realidade, nunca tive sustos ou má experiências com dentistas, porque tive sempre o mesmo médico desde que me conheço por gente. Foi sempre o mesmo dentista que cuidou de mim, que me ajudou a deixar cair os primeiros dentes, que me fez rir enquanto tratava de mim, que me distraía o suficiente para que eu nunca me importasse de estar ali. Foi com ele que arranquei o 1º dente (o do ciso) e nunca mais me esqueci da resposta que me deu quando perguntei se ía doer muito "Doer? Não! Há duas coisas fantásticas que toda a gente deveria poder experimentar: uma é ir ás Caraíbas, a outra é tirar o dente do ciso" e logo a seguir, já ele o tinha na mão sem eu dar conta.
Se o Dr. Luís soubesse o quão importante foi para mim...Mas eis que vim para longe e tive de reestruturar tudo de novo, procurar novos médicos de diferentes especialidades, que me pudessem seguir. A Medicina Dentária, confesso que fui deixando para o fim. Uma mariquice eu sei, mas tinha de ser alguém que eu adoptasse :)

Ontem fui pela 2ª vez à mesma dentista e logo para algo espectacular: DESVITALIZAR um dente :/ a palavra metia-me impressão mas para ser sincera não estava assustada sequer. Nunca o tinha feito, não era nenhum sonho para mim, mas o que tem de ser tem mais força, certo?
Usei o bom humor para ir quebrando gelo, como faço sempre, e lá fui descontraindo. Precisei de duas anestesias (só senti a segunda) mas o cuidado e a sensibilidade da dentista, puseram-me em paz.


No fim, depois de ter sentido tudo em obras e os neurónios todos a abanar, levantei-me serena e com metade da cara paralisada pela anestesia (aquela parte em que temos de beber e deitar fora logo a seguir, é horrível...perdemos a força nos lábios e a água escorre feito baba). E o balanço foi tãaaaao bom, não senti nada e embora a dentista não se tenha apercebido, ainda me ri durante o tratamento. Tal e qual me ria quando era pequena e me sentia segura.
Foi um pouco demorado mas saí super satisfeita e sem dor. Podia até me ter plantado um limoeiro na gengiva, que eu não dava conta!
E afinal, desvitalizar um dente não é o fim do mundo. Há sempre uma primeira vez para tudo, essa é que é essa :)

Não sei se elas lerão isto, mas um bem haja à equipa que esteve comigo.
E assim adoptei quem, sem saber, me pegou ao colo :)

5 comentários:

  1. Detesto ir ao dentista e só recorro ao mesmo em última instância. Sei que faço mal, mas cada vez que me sento naquela cadeira começo logo a transpirar e a segurar-me a ela com muita força eheheheh

    Para acalmar, nada melhor como ter confiança no nosso dentista de muitos anos :)

    ResponderEliminar
  2. Quando conheci o meu dentista deixei de ter medo.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Como te compreendo....!!! Eu fujo do dentista sempre que posso, pura parvoíce, mas enfim... justifico pelo facto de ter usado aparelho, e cada vez que ia ficava uma eternidade sentada naquela cadeira da tortura!!!:S Sempre que vou tenho o pensamento "epá que parvoice, agora não vou ficar tanto tempo sem ir!" mas a verdade é que o tempo passa a voar.... lolol :P

    ResponderEliminar
  4. Realmente o pessoal dessa área é do pior..cof,cof,cof.....Vânia fiquei muito sensibilizada pela teu gesto para com aquele sr.de idade da reportagem da SIC. Parabéns!! És um belíssimo ser humano!

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito do seu testemunho. Não é fácil quando mudamos de cidade e estamos habituados aos nossos sítios e médicos do costume. Temos que ter confiança, conhecer. Há um tempo também fui desvitalizar um dente, algo que nunca tinha feito com um dentista que também conheci pela primeira vez e é excepcional.

    ResponderEliminar