quarta-feira, 31 de julho de 2013

Amo este homem!


Depois de João Paulo II, este sim, é O Papa de todos nós. Simpatizei com ele desde que o vi naquela famosa varanda do Vaticano.
Gostei do nome e ironizei chamando-o de Papa Chicco.
Hoje, perante tudo o que vou assistindo, acho que se ele próprio se riria com a piada.

Agora no Brasil, deu uma entrevista soberba e humana. Humana de tão próxima do povo e de tudo aquilo que a Igreja deveria ser. De sorriso nos lábios, respondeu e foi falando de tudo um pouco.

Explicou a atitude que toma em relação a sua segurança:

“Eu não sinto medo. Sei que ninguém morre de véspera. Quando acontecer, o que Deus permitir, será. Eu não poderia vir ver este povo, que tem um coração tão grande, detrás de uma caixa de vidro. As duas seguranças (do Vaticano e do Brasil) trabalharam muito bem. Mas ambas sabem que sou um indisciplinado nesse aspecto.”

Sobre a Rivalidade entre Brasil e Argentina:

“O povo brasileiro tem um grande coração. Quanto à rivalidade, creio que já está totalmente superada. Porque negociamos bem: o Papa é argentino e Deus é brasileiro.”


Da Pobreza x Ostentação:

“Penso que temos que dar testemunho de uma certa simplicidade - eu diria, inclusive, de pobreza. O povo sente seu coração magoado quando nós, as pessoas consagradas, são apegadas a dinheiro.”

Sobre a Perda de Fiéis:

“Não saberia explicar esse fenômeno. Vou levantar uma hipótese. Pra mim é fundamental a proximidade da Igreja. Porque a Igreja é mãe, e nem você nem eu conhecemos uma mãe por correspondência. A mãe... dá carinho, toca, beija, ama. Quando a Igreja, ocupada com mil coisas, se descuida dessa proximidade, se descuida disso e só se comunica com documentos, é como uma mãe que se comunica com seu filho por carta. Não sei se foi isso o que aconteceu no Brasil. Não sei, mas sei que em alguns lugares da Argentina que conheço isso aconteceu.”

E será que falou dos Escândalos no Vaticano? Claro!

“Agora mesmo, temos um escândalo de transferência de 10 ou 20 milhões de dólares de monsenhor. Belo favor faz esse senhor à Igreja, não é? Mas é preciso reconhecer que ele agiu mal, e a Igreja tem que dar a ele a punição que merece, pois agiu mal. No momento do conclave, antes temos o que chamamos congregações gerais - uma semana de reuniões dos cardeais. Naquela ocasião, falamos claramente dos problemas. Falamos de tudo. Porque estávamos sozinhos, e para saber qual era a realidade e traçar o perfil do novo Papa. E dali saíram problemas sérios, derivados em parte de tudo o que vocês conhecem: do Vatileaks e assim por diante. Havia problemas de escândalos. Mas também havia os santos. Esses homens que deram sua vida para trabalhar pela Igreja de maneira silenciosa no Conselho Apostólico.”

Chiquinho, acho que vou gostar de ti sempre!

12 comentários:

  1. Estamos perante um verdadeiro Papa, um homem que se quer simples, humilde e a dar o exemplo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, finalmente a Igreja obteve a minha atenção.

      Eliminar
  2. Gosto dele deste o primeiro dia, a simplicidade e humildade que demonstrou naquele primeiro discurso fez-se acreditar que ainda é possível haver esperança para o Vaticano.
    Acho que o facto de ser jesuíta e ser sul-americano lhe dá uma visão mais humana da vida e da fé.

    Aqui em casa tb lhe chamamos Chico.

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Nunca liguei a esta 'coisa' de Papas porque os considerava todos uma espécie de materiais de enfeitar.

    Hoje, sinto-me totalmente rendido a este homem.
    Para mim não é o Papa. É o Chefe de Estado do Vaticano, gente simples, amável, simpática.
    Em suma. Francisco é o povo. E eu gosto disso.

    ResponderEliminar
  4. Como já tive oportunidade de te dizer por outros meios, até eu um simples "ateu", lol, sinto-me prendida por este grande senhor... dei por mim a assistir a ida dele ao Brasil, como podes imaginar aqui na Argentina, tudo o que é relacionado com o Papa Francisco, nunca é demais falar e mostrar!!;) lol E dei por mim, a deixar a cairem as lágrimas com a cena da criança a ir ter com ele... dei por mim a ficar presa aos discursos dele e a pensar "será que finalmente alguém da igreja pensa na mesma língua que o povo?".... olha não sei, não acredito que seja por estar a viver na Argentina, acredito que seja por termos um grande senhor de grandes valores humanos e não materiais e com leis... Uma das coisas que mais me tocou, foi quando ele falou sobre o não fechar as portas da igreja a uma mãe solteira, com uma criança sem pai... Estamos finalmente perante um grande senhor humano!:) Estás a ver? Eu não ligo nada a igreja e agora dou nisto!!LOLOL ;)
    Beijocas

    ResponderEliminar
  5. E eu também! :)
    É um exemplo, um modelo de como um Papa deve ser!
    Simplicidade, autenticidade, simpatia, tolerância. Virtudes essenciais!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E isso não pode faltar. Viva ao Papa Chico ;)

      Eliminar
  6. Concordo com tudo o que foi dito. Este Papa é um amor de pessoa, humilde, sabe dar valor às dificuldades das pessoas.É tudo o que a Igreja precisava. E se eu já gostava dele, quando ele disse que não é ninguém para julgar os homossexuais rendi-me completamente. :-)
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa questão dos homossexuais foi brutal, tocou :)
      beijinhos

      Eliminar